Meses

 1 mês do seu pequeno milagre já passa rápido de mais!


Cabeça mais firme

Os músculos do pescoço estão ficando mais fortes, o que permite ao bebê manter a cabeça erguida por breves períodos. Ele também consegue levantá-la um pouco quando está de barriga para baixo e pode até conseguir virá-la de um lado para o outro. Pode ser que ele erga a cabeça enquanto estiver na cadeirinha do carro ou em um "canguru", especialmente se tiver um bom apoio lateral e se você utilizar protetores acolchoados de cabeça, feitos justamente para essas situações. 

 
Ao nascer, seu bebê não tinha a menor ideia de que braços e pernas faziam parte dele. Agora isso começa a mudar, à medida ele inicia a exploração do corpo. As primeiras partes que vai descobrir são mãos e pés. Você pode estimular o interesse segurando os braços dele em cima da cabeça e fazendo brincadeiras!


Os bebês não só adoram sugar; eles também precisam sugar. Você já deve ter reparado que uma chupeta faz maravilhas para ajudar seu filho a se acalmar sozinho, mas, se ela não estiver por perto, o bebê tem a chance de conseguir encontrar o polegar ou outros dedos para chupar.


  



 2 meses do seu pequeno milagre!


Primeiros sorrisos de verdade
A partir daqui, tudo o que você fizer será recompensado com lindos sorrisos desdentados. Os primeiros sorrisos para valer certamente figuram entre as conquistas que mais tocam o coração dos pais. De certo modo, é a hora do retorno. Você troca de fralda, alimenta, dá banhos, beija e acaricia seu bebê sem grandes recompensas. Mas, de repente, acontece: seu filho sorri e você tem certeza de que não é coincidência. É um momento magico a gente fica boba lembro de quando meu bebe sorrio pela primeira vez mesmo dormindo foi uma emoção tão grande.

 

3 Meses e seu pequeno milagre já esta querendo independente!



Cabeça para cima

Durante este mês, o bebê poderá conseguir levantar a cabeça quando estiver de barriga para cima e mantê-la assim por vários minutos. Se ele estiver sentado com apoio, poderá ficar com a cabeça firme e erguida. Ao deitar de bruços, levanta a cabeça e o peito como se estivesse fazendo mini flexões. Você pode praticar com ele sentando à sua frente e agitando um brinquedo em um nível mais alto.



Melhor coordenação de braços, pernas e mãos!



Nesta etapa, seu bebê é capaz de balançar os braços e as pernas. À medida que os ligamentos do quadril e joelhos tornam-se mais flexíveis, os chutes ficam mais fortes. E, se você segurar a criança com os pés no chão, ela vai fazer força para empurrar o chão.

O bebê consegue unir as mãos e abrir os dedos, porém provavelmente usará a mão fechada para bater em objetos acima de sua cabeça (é claro que o fato de conseguir tocar um brinquedo ou outro objeto já é uma grande conquista). Auxilie no desenvolvimento das mãos de seu filho segurando um brinquedo à distância para ver se ele tenta pegá-lo. Para variar os estímulos, deixe-a numa posição mais levantada, sempre com encosto: levante um pouco o carrinho ou a coloque no bebê conforto, para que ela veja o mundo a sua volta.



O sono começa a se ajustar

A partir de agora, os pais exaustos pela falta de sono poderão ter alguma folga.

Entre 3 e 4 meses, os períodos de sono do seu bebê começam a se definir. Nesta idade, muitos bebês já podem até dormir a noite toda, embora ainda acordem esporadicamente para mamar. Algumas crianças ainda demoram mais uns bons de três a seis meses para dormir a noite inteira (e por "dormir a noite inteira" entenda geralmente apenas seis horas por vez), então não se surpreenda se o seu bebê for uma delas.













4 meses e agora ele já pode começas se alimentar.

Fome menos frequente
Agora, com 4 meses de idade, seu bebê tem um estômago maior, por isso não sentirá necessidade dese alimentar com tanta frequência -- apenas cinco ou seis vezes por dia. O apetite dele vai diminuindo, e ficando mais parecido com o de crianças maiores e adultos, mas mesmo assim ele continuará engordando e crescendo (embora num ritmo um pouco menor que o dos meses anteriores).

A atenção dele começa a se voltar para outras pessoas e situações enquanto ele mama, e, embora seja ótimo vê-lo entusiasmado e respondendo a novidades, a hora da alimentação pode ficar mais difícil. Se o seu filho se distrai facilmente, tente alimentá-lo em um local bem tranquilo.

  Rola para cá e rola para láQuando estiver de bruços, o bebê vai levantar a cabeça e os ombros, usando os braços como apoio. Essa "mini flexão de braços" ajudará a fortalecer seus músculos, além de oferecer uma melhor visão do que está à sua volta.

Ele poderá até surpreender você (e a ele mesmo!) rolando de costas para a frente ou vice-versa. Para incentivá-lo, deixe um brinquedo perto do lado para onde ele costuma virar, e quem sabe ele vai querer tentar rolar de novo. Comemore cada tentativa -- ele talvez precise do seu apoio moral, porque novidades tão grandes tendem a assustá-lo.


Já está na hora de começar a dar outros alimentos?
Nos primeiros 4 a 6 meses de vida, o bebê recebe todos os nutrientes de que precisa através do leite materno ou das fórmulas lácteas. Mesmo assim, os pais costumam ficar ansiosos para introduzir logo os alimentos sólidos na dieta infantil. Converse com seu pediatra antes de tomar uma decisão.



5 meses e ele já quer sentar!

Quase sentando sozinho

O desenvolvimento físico do bebê é rapidíssimo. Ao ficar de bruços, ele consegue levantar os braços e as pernas, deixando as costas arqueadas; quando de barriga para cima, ele vai levantar a cabeça e os ombros. Seu filho pode até conseguir se sentar por alguns segundos sem ajuda, mas logo começa a se inclinar para a frente. Fique por perto, claro, para apoiar e cercar a criança com almofadas para o caso de uma queda. 

É bom deixar o bebê brincando no chão de bruços, porque, ao levantar a cabeça e o peito para olhar objetos ou pessoas, os músculos do pescoço serão trabalhados, melhorando o tônus muscular necessário para outras funções motoras. A posição vale também como treino para o controle da cabeça, de que ele precisará para ficar sentado.

 

6 meses!

Explorando as mãos

Com cerca de 6 meses (mas às vezes um pouco depois), o controle das mãos já se desenvolveu o suficiente para o bebê conseguir puxar um objeto na sua direção. Uma vez que tenha aprendido a pegar um brinquedo, ele começará a fazer o exercício de passar de uma mão para a outra.

Além disso, descobrirá que deixar cair alguma coisa é tão interessante quanto pegá-la. Ao entender o conceito de causa e efeito, o mundo do seu filho ficará bem mais intrigante, e o seu, bem mais bagunçado.


                         7 meses!

O bebê consegue apoiar o peso nas pernas por curtos períodos e adora pular. Além disso, ele provavelmente senta sem apoio (o que libera suas mãozinhas para explorar o mundo) e já tenta virar quando está nessa posição para pegar algum objeto. Algumas crianças, quando colocadas de bruços, chegam até a estender os braços para se sentar sozinhas.

Aprendendo a segurar

A chamada coordenação motora fina do seu bebê também está se aprimorando. A esta altura, ele provavelmente passa coisas de uma mão para a outra com facilidade e pode até conseguir segurar um copinho especial para crianças com as duas mãos juntas (e seu auxílio). Em pouco tempo, você vai reparar que o barulho em casa aumentou, não só porque o bebê emite mais sons, mas também porque ele terá descoberto a graça de bater uma coisa na outra.

Para ajudar no desenvolvimento da coordenação motora fina, coloque um brinquedo ou algo interessante fora do alcance do bebê e observe como ele vai tentar pegá-lo. Se por um acaso seu filho começar a chorar porque não consegue alcançar, continue a encorajá-lo com tranquilidade, sem, contudo, entregar o objeto. A criança está simplesmente expressando frustração e vai acabar se tornando mais confiante em termos físicos se você não facilitar demais as coisas. Depois de algumas tentativas, o bebê vai se inclinar e, em seguida, voltar à posição inicial. Isso plantará uma semente para que ele comece a se balançar para a frente e para trás sobre as mãos e os joelhos, num incentivo para engatinhar ou rolar para se locomover por conta própria. É bom que a criança esteja usando roupas confortáveis para facilitar tarefas como essa. 

  


8 meses do seu pequeno milagre



Senta, engatinha e fica de pé

Agora que tem 8 meses, é possível que o seu bebê esteja sentando sem apoio e talvez até engatinhando ou se movimentando pela casa se arrastando sentado. Ele deve estar começando a passar da posição sentada à ereta com o auxílio dos móveis. Se você posicionar seu filho perto de um sofá, ele provavelmente vai se agarrar às bordas com todas as suas forças para levantar.

Essa mobilidade toda se traduz em muitos tropeções e quedas. Essa é uma parte inevitável da infância e, embora você por vezes fique com o coração na boca, tente aproveitar esta etapa em que a criança explora e descobre seus limites. Reprimindo seus desejos mais profundos proteger seu filho a todo custo, você vai permitir que ele cresça e aprenda por conta própria. Agora, é fundamental que sua casa seja um ambiente seguro para crianças. Entre outras coisas, você deve se certificar de que objetos frágeis estejam posicionados em segurança (para que não caiam) e que móveis menos firmes fiquem em locais em que o bebê transita pouco. Retire qualquer objeto pequeno que o bebê possa enfiar no nariz, no ouvido ou na boca.
         


Longe dos pais 

Nesta idade, a maioria dos bebês já dá sinais de ansiedade de separação. Seu filho pode ficar mais tímido ou preocupado perto de desconhecidos, especialmente quando estiver cansado ou irritado. Nos momentos em que você não está por perto, ele demonstra chateação. Mesmo que seja desagradável, essa separação é importante. Ao se afastar, você ajuda no desenvolvimento da confiança do seu bebê e na formação de elos emocionais dele com outras pessoas.

Quando sair, beije e abrace seu filho e diga a ele que vai voltar. Caso ele fique assustado ou comece a chorar, não tenha dúvidas em reconfortá-lo e assegurar que você volta mesmo. É duro não começar a chorar quando ele chora, mas, se você não resistir, vai apenas prolongar o sofrimento dele. Nessas horas, é bom ter por perto uma outra pessoa com quem ele esteja familiarizado. Se o bebê fica ansioso no momento de se separar de você à noite, procure reservar um tempinho a mais para estar com ele, segurá-lo no colo, ler ou cantar uma música antes de colocá-lo de vez para dormir.

Alguns bebês lidam melhor com separações do que outros, dependendo do temperamento. Cada criança é de um jeito, e cada uma precisa de determinada quantidade de atenção. Você conhece seu filho melhor do que ninguém, portanto siga seus instintos e não se sinta culpada por dar mais atenção se achar necessário.


     

 9 meses  e seu pequeno esta quase andando!



O bebê está cada vez mais perto de andar de fato. Nesta etapa, ele consegue subir escadas engatinhando e se movimentar de pé apoiando-se em móveis. Há crianças de 9 meses que chegam a dar alguns passinhos, mas ainda com ajuda. O bebê também está aprendendo a dobrar os joelhos e a se sentar depois de já estar de pé (uma operação mais difícil do que se imagina!).

Uma maneira de ajudar seu filho nessas primeiras caminhadas é se posicionar na frente dele, a uma curta distância, com as mãos esticadas encostando nas dele, para que ande na sua direção. Outro bom exercício é usar um daqueles carrinhos em que a criança pode se apoiar e empurrar (fique de olho em modelos que sejam estáveis e tenham uma base de sustentação larga).

Outro equipamento para esta fase é o andador, mas ele provoca polêmica entre os especialistas, pois boa parte deles o considera prejudicial para o desenvolvimento das pernas e dos pés. Se você decidir colocar seu bebê em um, limite o tempo e tome cuidado extra para prevenir acidentes, principalmente quando houver escadas e obstáculos no piso. O andador pode virar e causar ferimentos graves, em especial na cabeça. Não deixe de incentivar seu filho a treinar andar sem o andador.



Sapatos? Ainda não

             

Muitos pais ficam na dúvida se é hora de pôr sapatos quando os bebês começam a ficar de pé e a se movimentar. A maioria dos especialistas acredita que os sapatos não são necessários até que seu filho esteja passeando na rua com frequência. Andar descalço é algo que não só fortalece o peito do pé e os músculos do pé e da perna do bebê (evitando o pé chato), como pode colaborar para o equilíbrio. 

10 meses seu bebe mais ágil 

 



Aos 10 meses, os bebês geralmente engatinham bem, apoiando-se nas mãos e joelhos e com o tronco paralelo ao chão. Muitas crianças até já engatinham antes disso, mas aprimoram os movimentos nesta fase. Seu filho também já senta com firmeza e é capaz de andar segurando-se em móveis, possivelmente soltando as mãos por alguns segundo e ficando de pé sozinho.

Uma vez que consiga se equilibrar por conta própria, o bebê vai usar outros objetos para se apoiar, vai encontrar formas de escalar móveis e até de subir escadas. Ele dará uns passinhos meio incertos quando você o colocar em posição para andar e, muitas vezes, tentará pegar um brinquedinho. Os primeiros passos de fato rumo à independência -- e ao fim daqueles longos momentos no carrinho -- vão surpreender você a qualquer minuto.

Uso dos dedos da mão

Os dedos da mão do bebê estão mais habilidosos. Ele consegue pegar um pequeno objeto entre os dedos polegar e indicador ou médio sem ter que apoiar o punho em uma superfície (e, agora que seu filho já está comendo alimentos sólidos, prepare-se para muita sujeira no chão).

Qualquer coisa bem pequena é intrigante e vai parar na boca. Não há nenhum problema com isso, desde que tais "achados" sejam comestíveis e não tão pequenos que possam fazer a criança engasgar.



TagarelaNeste momento, em que os bebês entendem palavras e frases simples, é importantíssimo conversar muito com eles. Um bom estímulo é repetir as palavras do seu filho com linguagem adulta. Por exemplo, se ele pedir "mamá", você sutilmente ensina a palavra correta perguntando de volta: "Você quer a mamadeira?".

Agora é aconselhável evitar a fala infantilizada, já que, apesar de ser gostoso falar assim, é melhor para o desenvolvimento da criança ouvir a maneira certa de se dizer as coisas.

Por vezes pode parecer meio bobo, mas a conversa com uma criança dessa idade ajuda a aprimorar a linguagem. Quando seu filho soltar uma daquelas frases absolutamente ininteligíveis, simplesmente responda com um "não me diga" ou "é verdade?". Ele provavelmente vai sorrir e continuar a falar. Em pouco tempo, você vai perceber que entende algumas palavras, assim como outras formas de comunicação, como apontar e resmungar.

Outra coisa que vale a pena é descrever passo a passo o que você está fazendo, seja na cozinha, no computador ou na hora de vesti-lo. Ao trocar seu filho para passear, explique: "Vou te colocar no carrinho. Agora vou pôr o cinto. Pronto. Vamos passear". Aproveite também para cantar e demonstrar como palavras e gestos combinam (como por exemplo dizendo tchau e acenando ao mesmo tempo). Assim ele passa a absorver palavras-chave e frases recorrentes.

Em breve, o bebê vai começar a ligar as coisas. Quando alguém bater palmas, ele baterá também, e poderá dizer "ma-ma" ao olhar para a mãe ou para a mamadeira e "pa-pa" ao avistar o pai ou a comida. As mesmas palavras, aliás, terão múltiplas funções e, aos poucos, você vai aprender o que elas querem dizer para o seu filho.



11 meses e eles já querem independência!

 



Independência física maior.A um mês de completar 1 ano, o bebê não é mais aquela coisinha frágil que não conseguia fazer nada sem você. Apesar de ainda requerer muitos cuidados e atenção, a independência física do seu pequeno milagre fica cada vez mais evidente. Ele anda segurando nas suas mãos e estica o braço ou a perna para ajudar na hora de ser trocado. Durante as refeições, o bebê toma água no copinho (algo que algumas crianças levam mais tempo para fazer) e se alimenta com as próprias mãos. Detalhe: prepare-se para se abaixar bastante, já que jogar tudo no chão continua sendo um ato irresistível.
Olhar livros e virar páginas é um dos passatempos preferidos do seu pequeno milagre, mesmo que ele não necessariamente consiga virar uma folha por vez. As crianças costumam ter livros favoritos e sempre querem "ler" os mesmos.



Hora de começar a impor limites



O bebê provavelmente entende instruções simples e pode decidir ignorá-las. Para fazer com que a palavra "não" tenha mais peso, reserve-a para situações realmente perigosas. E mesmo que o bebê esqueça amanhã o que foi dito hoje, comece a impor limites e a ensinar seu filho a distinguir o certo do errado.

Você não está sendo maldosa se não deixar uma criança comer duas fatias de bolo, simplesmente está tomando uma decisão sobre o que considera melhor para ela. Caso seu filho puxe o rabo de um animal, diga "isso machuca o bichinho" e depois ensine a passar a mão para fazer um carinho. O desejo do bebê de explorar o mundo é mais forte do que o de ouvir às suas advertências, então cabe a você protegê-lo e mostrar como as coisas devem ser. O que pode às vezes parecer provocação é apenas a curiosidade natural das crianças de ver como tudo funciona.

Palavras e sons parecidos com palavras jorram agora da boca do bebê, que consegue expressá-los com significado. À medida que os lobos frontais do cérebro gradualmente se desenvolvem -- coincidindo com uma maior capacidade cognitiva, como a da fala --, estimule o interesse pela linguagem prestando atenção no que seu filho diz e respondendo às suas interjeições. Esse tipo de interação é crucial para o aprendizado da comunicação como uma via dupla. Brincadeiras de esconder ou que unam música e gestos são boas maneiras de aperfeiçoar a memória do bebê.
É mais fácil para as crianças seguir suas orientações se isso for feito a partir de um passo a passo bem simples.



Postar um comentário